Economia

Ministra garante que não haverá corte nas pensões em 2023

Entrevista SIC Notícias

Loading...

Em entrevista na SIC Notícias, a ministra Ana Mendes Godinho esclareceu que o pagamento do suplemento extraordinário, tal como das pensões, é feito individualmente e só em situações excecionais é que é pago aos representantes legais.

Os pensionistas da Segurança Social recebem esta segunda-feira o complemento excecional, criado pelo Governo como resposta ao impacto da inflação. O apoio corresponde a metade do valor da pensão é pago por transferência bancária. No caso dos pensionistas da Caixa Geral de Aposentações, o pagamento é feito no dia 19.

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social esteve em entrevista na Manhã SIC Notícias, na qual esclareceu que "as pensões são pagas às pessoas individualmente e só em situações excecionais é que será pago aos representantes legais".

O esclarecimento surgiu na sequência de dúvidas relacionadas com a possibilidade deste valor suplementar poder ser pago diretamente aos lares ou instituições que acolhem pensionistas.

"Procurámos criar aqui um mecanismo excecional para ter este suplemento adicional das pensões, da meia pensão, exatamente neste momento em que as pessoas precisam mais", explicou Ana Mendes Godinho que sublinhou a importância de atribuir este valor adicional nesta fase em que se vive uma situação económica adversa.

No total a meia pensão adicional será agora paga a cerca de 2 milhões e 700 mil pensionistas. A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social deixou, contudo, a garantia de que "em janeiro será feita também uma atualização das pensões". Ana Mendes Godinho garantiu que não haverá cortes nas pensões no próximo ano.

Últimas Notícias
Mais Vistos