Economia

"Portugal tem conseguido manter os preços estáveis", diz CEO da EDP

"Portugal tem conseguido manter os preços estáveis", diz CEO da EDP
NUNO VEIGA

Em relação ao imposto sobre os lucros inesperados, o CEO da EDP afirma que a empresa não será afetada.

Na Web Summit, Miguel Stilwell d'Andrade, o CEO da EDP, disse à SIC que ainda é cedo para a empresa prever as atualizações dos preços no mercado regulado.

No início do próximo ano, a eletricidade deverá aumentar 2,8% no mercado regulado, segundo propõe a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A partir de janeiro, o regulador já provou tarifas com uma proposta de aumento de 1,1% no mercado regulado.

Em resposta a estas medidas Miguel de Andrade afirma que ainda é muito cedo para abordar essa questão, uma vez que “há ainda muita volatilidade no mercado”. Em momento oportuno, o CEO da EDP garante que comunicará as decisões tomadas.

Em relação ao número adiantado, 2,8% de aumento dos preços no mercado regulado, é, comparativamente a outras nações, um valor positivo. Adianta que Portugal “tem conseguido manter os preços relativamente estáveis”, muito devido ao investimento do país nas áreas renováveis.

Questionado acerca do imposto sobre os lucros inesperados das empresas, Miguel de Andrade revela que a EDP não deverá ser afetada. Acrescenta que “se existe um preço máximo, consequentemente não se verificarão resultados extraordinários”.

Acrescenta que é do domínio público que a EDP não registou lucros em Portugal nos últimos tempos e que, o que a empresa tem tido “é uma taxa de contribuição extraordinária, que é independente do lucro, é sobre um investimento”.

Explica que esta medida deveria aplicar-se apenas a “quem não tem esse limite máximo de preço”.

Últimas Notícias