António Costa

António Costa: “As pessoas não querem a maioria absoluta. Tenho pena, mas não desejam”

António Costa: “As pessoas não querem a maioria absoluta.  Tenho pena, mas não desejam”

Entrevista a António Costa à SIC, na reta final da campanha eleitoral.

António Costa admitiu esta sexta-feira, em entrevista à SIC, que os portugueses não querem a maioria absoluta do Partido Socialista. Na reta final da campanha, o secretário-geral socialista disse que ao longo destes dias falou com as pessoas, mas também as ouviu. 

“Manifestamente, as pessoas não querem a maioria absoluta. Tenho pena, mas não desejam. Não faço birras, nem chantagens, nem condiciono os eleitores. O que digo com toda a franqueza é que, em função das condições que me derem, assumirei a responsabilidade de governar”, esclareceu. 

Para Costa, são os portugueses que, no domingo, vão resolver a crise política “com o seu voto”. Questionado sobre a possibilidade de governar diploma a diploma, respondeu:

“Estou preparado para governar nas condições que os portugueses definirem. Só no domingo à noite saberei que ovos tenho para fazer as omeletes”, justificou. 

A reforma da Justiça proposta por Rui Rio, que coloca o controlo do Conselho Superior do Ministério Público nas mãos do poder político, é uma linha vermelha para António Costa.

“Eu não concordo que o Dr. Rui Rio propõe e creio que nenhum português pode aceitar que o poder político passe a controlar o Conselho Superior do Ministério Público. A autonomia do MP é uma condição essencial para o combate à corrupção, para garantir que não há impunidade”, declarou. 

Últimas Notícias
Mais Vistos