Ataques no Sri Lanka

Um dos bombistas suicidas estudou no Reino Unido e na Austrália

Athit Perawongmetha

Atacantes tinham dinheiro e eram instruídos, pelo menos um estudou no estrangeiro.

Pelo menos um dos atacantes do domingo de Páscoa a igrejas e hotéis em Colombo estudou no Reino Unido e na Austrália, revela a investigação.

Numa conferência de imprensa esta manhã, o o ministro da Defesa Ruwan Wijewardene revelou que a maioria dos atacantes pertencia a famílias com dinheiro, de classe média e média alta, tinha instrução escolar e, pelo menos, um deles frequentou a universidade no estrangeiro.

"Acreditamos que um dos bombistas suicidas estudou no Reino Unido e mais tarde fez uma pós-graduação da Austrália, antes de regressar de vez ao Sri Lanka", afirmou o ministro.

"Eram financeiramente independentes e as famílias bastante estáveis finaceiramente", acrescentou o responsável.

Nove bombistas suicidas, incluindo uma mulher

Foram nove os atacantes, confirmou hoje o Departamento de Investigação Criminal (CID) do Sri Lanka, um deles uma mulher, esposa de um dos bombistas.

O porta-voz da polícia Ruwan Gunasekara anunciou que oito deles já foram identificados pelo CID.

Ataques "podiam ter sido evitados", admite Governo

O Governo cingalês admitiu hoje que os ataques de domingo de Páscoa "podiam ter sido evitados". Ruwan Wijewardene, vice-ministro da Defesa, considerou que se os serviços de informação tivessem transmitdo a informações de forma correta, os ataques poderiam ter sido "evitados ou minimizados".

Governo mantém tese de grupo islâmico local

Apesar da reivindicação do Daesh, o Executivo continua a acreditar que a responsabilidade pelos atentados de domingo é de um grupo islâmico local, National Thowfeek Jama'ath.

O Governo sustenta que os ataques foram realizados por fundamentalistas islâmicos em aparente retaliação ao massacre nas mesquitas da Nova Zelândia em março, mas disse que todos os bombistas suicidas eram do Sri Lanka.

359 mortos, mais 18 detidos

O número de mortos nos atentados subiu para 359 e mais 18 suspeitos foram detidos nas últimas horas, informou hoje o porta-voz da polícia cingalesa, elevando para 58 o total de detidos.

O primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, alertou na terça-feira que vários suspeitos armados com explosivos ainda se encontravam em fuga.

Quem são os suspeitos dos ataques no Sri Lanka?

39 turistas de várias nacionalidades entre os mortos nos atentados no Sri Lanka

Casado há uma semana e em lua-de-mel, Rui Lucas é uma das vítimas dos ataques no Sri Lanka

  • Carro de Santana Lopes não tinha seguro?
    1:44