Ataques no Sri Lanka

Secretário da Defesa do Sri Lanka demite-se na sequência dos ataques

Dinuka Liyanawatte/ Reuters

Disse aceitar a responsabilidade pelo fracasso das forças de segurança.

O secretário da Defesa do Sri Lanka demitiu-se esta quinta-feira na sequência dos atentados terroristas no domingo que causaram 359 mortos, disse uma fonte ministerial à agência France Presse.

Hemasiri Fernando entregou a sua carta de demissão ao Presidente Maithripala Sirisena, que é também o ministro da Defesa.

"Ele disse ao Presidente que aceita a responsabilidade" pelo fracasso das forças de segurança antes dos atentados, declarou a fonte que não quis ser identificada.

O Sri Lanka reconheceu que fracassou na missão de assegurar a segurança nacional, por dispor de informações prévias de serviços secretos que indicavam que um movimento islamita local se preparava para realizar atentados.

Em 11 de abril, o chefe da polícia do Sri Lanka escreveu uma nota de alerta, indicando que o National Thowheeth Jama'ath (NTJ) preparava ataques suicidas contra "igrejas emblemáticas".

O alerta baseava-se em elementos fornecidos pelos serviços secretos indianos, indicou hoje à AFP uma fonte com conhecimento do dossier.

O documento foi transmitido a vários altos responsáveis, mas não ao primeiro-ministro nem ao vice-ministro da Defesa, num contexto de guerra aberta entre o Presidente e o primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe.

"Houve claramente uma falha da comunicação dos serviços secretos. O governo deve assumir as suas responsabilidades pois se a informação tivesse sido transmitida às pessoas corretas poder-se-ia talvez ter evitado ou minimizado" os atentados, disse na quarta-feira, em conferência de imprensa, o vice-ministro da Defesa, Ruwan Wijewardene.

Os atentados suicidas no domingo de Páscoa no Sri Lanka ocorreram em oito locais diferentes e causaram ainda mais de 500 feridos.

Um português residente em Viseu está entre as vítimas mortais.

Já foram detidos 58 suspeitos de ligação aos atentados reivindicados pelo Daesh.

Lusa

  • Reino Unido ameaça Irão com "graves consequências"
    1:59
  • Corrupção no topo das preocupações dos portugueses
    1:34
  • Cepas da Serra
    10:16
  • "À descoberta com..." Inês Castel-Branco na Tailândia 
    3:14