Eleições Autárquicas

Sondagem dá vitória ao PS na Amadora quando 33% dos inquiridos ainda estão indecisos

Prestes a arrancar a campanha eleitoral para as autárquicas de 26 de setembro, na Amadora a Sondagem do ICS e do Iscte para a SIC e o Expresso dá a vitória ao PS e à atual presidente Carla Tavares. Suzana Garcia, candidata do PSD, consegue 30%.

A um mês dos cerca de 170 mil habitantes da Amadora irem a votos, um em cada três inquiridos desta sondagem ainda não tinha decidido o voto, mas a recondução da atual presidente
é dada com certa. Com 11 pontos de vantagem sobre a principal adversária.

Carla Tavares venceu em 2017 com 48%. A coligação PSD-CDS teve 18. Com Suzana Garcia, a direita tem 30, a CDU 8, o Bloco de Esquerda 5, o Chega 3, a Iniciativa Liberal 2, o mesmo que o PAN.

Nota positiva para o Governo

O executivo passa no teste da avaliação global. Tem nota positiva de mais de dois terços. 19% acha que o trabalho do Governo foi mau.

Os espaços públicos é o que veem consideram estar melhor. Transportes, trânsito, limpeza das ruas e oferta cultural têm classificação mais elevada do que o aceso à habitação, segurança, apoios sociais e impostos municipais. O pior é a corrupção.

Quanto ao sistema de videovigilância, a maioria acha que teve impacto positivo na redução criminalidade. 7% acha que foi negativo e 3% muito negativo.

Os bairros degradados são questão recorrente. Para 38%, a demolição é a solução preferencial com o realojamento das pessoas em casas espalhadas pelo concelho ou, para 27%, em bairros sociais. 18% entende que seria melhor dar apoios para reparar as casas.

Ficha Técnica:

. Estudo coordenado pelo ICS e pelo ISCTE

. Universo de indivíduos de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 18 anos e capacidade eleitoral ativa, recenseados no município da Amadora, selecionados através do método de quotas

. Informação recolhida através de entrevista telefónica

.Trabalho de campo realizado pela GfK Metris entre 23 e 25 de agosto de 2021

. Contactados 3478 números de telefone / telemóvel

. 600 entrevistas válidas

. Margem de erro máxima de +/- 3,94%, com um nível de confiança de 95%

Especial Autárquicas