Eleições Autárquicas

Autárquicas: líder da bancada do PS no parlamento da Madeira renuncia após demissão de Cafôfo

HOMEM DE GOUVEIA / LUSA

Rui Caetano vai substituir Miguel Iglésias, ambos do PS, após os maus resultados na Madeira.

O líder da bancada do PS na Assembleia da Madeira, Miguel Iglésias, renunciou esta terça-feira ao lugar na sequência da demissão do líder do partido, Paulo Cafôfo, após os maus resultados nas autárquicas de domingo, sendo substituído pelo deputado Rui Caetano.

"O deputado Rui Caetano foi indicado pelos seus pares como novo líder parlamentar do PS/Madeira na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira (ALRAM)", lê-se numa nota divulgada pelo partido.

Segundo a mesma informação, Rui Caetano "irá dirigir os destinos da bancada socialista numa decisão que acolheu a unanimidade dos deputados, certos de que reúne todas as condições para desempenhar o cargo, que é de enorme exigência".

O PS/Madeira explica que o deputado Miguel Iglésias renunciou ao seu lugar de líder parlamentar "na sequência da demissão de Paulo Cafôfo da presidência do PS/Madeira", uma decisão que foi anunciada na noite eleitoral e já foi transmitida em reunião do Secretariado do partido.

Miguel Iglésias vai continuar como deputado, "não abdicando de continuar um trabalho que tem desempenhado de escrutínio próximo e assertivo de toda a atividade do Governo Regional", de coligação PSD/CDS-PP.

"Foi uma decisão natural no seguimento da demissão do Paulo Cafôfo, com quem tenho partilhado um trajeto político lado a lado, sendo que não faria sentido com a sua demissão, que apoiei totalmente, continuar como líder parlamentar na ALRAM", afirma Miguel Iglésias, citado no comunicado.

Iglésias indica ser "necessário iniciar um novo ciclo, com motivação e empenho": "Porque essa é a exigência de todas e todos os que nos elegeram e esperam que o grupo parlamentar do PS Madeira continue a desempenhar a oposição vigorosa e necessária ao Governo Regional".

Por seu turno, o novo líder da bancada socialista, Rui Caetano, diz encarar "este novo desafio com o mesmo espírito de missão e compromisso assumido desde o primeiro dia" em que entrou na política.

O grupo parlamentar do PS, o maior da oposição, é composto por 19 deputados dos 44 da Assembleia Legislativa da Madeira.

Rui Caetano aponta que o seu objetivo é "trabalhar sempre pela democracia, pela liberdade, pela independência de cada um, pelo progresso e desenvolvimento do país e da Região".

"Esse é o desígnio que partilho com os meus colegas deputados e será certamente sobre esses objetivos comuns que continuaremos a trabalhar com o mesmo afinco, na defesa dos interesses dos madeirenses e porto-santenses, na construção de uma alternativa de governação", escreve.

Na mesma informação, o PS/Madeira enfatiza que a bancada do partido no parlamento regional vai "manter a mesma motivação de continuar num trabalho que já leva dois anos".

Ainda agradece ao líder socialista demissionário, Paulo Cafôfo, "o seu contributo indelével na procura da alternância democrática na Região e incansável trabalho em prol da melhoria da democracia, autonomia e qualidade de vida dos madeirenses e porto-santenses".

Nas eleições autárquicas do passado domingo, o PS sofreu uma pesada derrota, tendo perdido a Câmara Municipal do Funchal, que foi governada nos últimos oito anos por uma coligação encabeçada pelo partido.

O PSD, coligado com o CDS, conseguiu reconquistar o principal município da Madeira com maioria absoluta e elegeu Pedro Calado, ex-vice-presidente do Governo Regional e anterior autarca, como novo presidente da câmara.

Esta coligação também tem maioria absoluta na Assembleia Municipal do Funchal e passou a governar nove das 10 freguesias do concelho.

VEJA TAMBÉM: