Brexit

Barnier homenageia "determinação" de May em busca de saída ordenada

Yiannis Kourtoglou

Barnier reagiu na sua conta oficial na rede social Twitter, pouco depois de a chefe de Governo ter anunciado a sua demissão,

O negociador-chefe da União Europeia para o 'Brexit', Michel Barnier, prestou hoje homenagem à primeira-ministra britânica, sublinhando a "determinação" com que Theresa May trabalhou para tentar garantir uma saída ordenada do Reino Unido do bloco europeu.

"Gostaria de expressar o meu absoluto respeito por Theresa May e pela sua determinação, enquanto primeira-ministra, em trabalhar com vista a uma saída ordenada do Reino Unido da União Europeia", escreveu Barnier na sua conta oficial na rede social Twitter, pouco depois de a chefe de Governo ter anunciado a sua demissão, face ao insucesso em conseguir a aprovação do Acordo de Saída pela Câmara dos Comuns.


Pouco antes, também a Comissão Europeia já reagira ao anúncio da demissão, tendo uma porta-voz afirmado que "o presidente (Jean-Claude) Juncker acompanhou o anúncio da primeira-ministra May sem alegria pessoal", pois "gostava da primeira-ministra May e apreciava trabalhar com ela".


"Como vincou outras vezes, Theresa May é uma mulher de coragem por quem tem muito respeito", disse a porta-voz do executivo comunitário Mina Andreeva, numa declaração em nome de Jean-Claude Juncker.


Mina Andreeva esclareceu ainda que a demissão da líder do Governo britânico não altera a indisponibilidade do executivo comunitário para renegociar o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia, firmado entre Bruxelas e Londres em novembro passado e já ratificado pelo Conselho Europeu.


Theresa May anunciou hoje que vai demitir-se da liderança do partido Conservador, desencadeando uma eleição interna cujo vencedor vai assumir a chefia do governo.
A demissão da liderança será formalizada na sexta-feira 07 de junho para que a eleição comece na semana seguinte.


Enquanto primeira-ministra, May não pode renunciar até que esteja em posição de dizer à rainha Isabel II quem esta deve nomear como sucessor, pelo que se mantém em funções até que o partido tenha eleito um novo líder, o que não deverá acontecer até o final de julho.

Lusa

  • Os tsunamis que arrasaram a Ásia em 2004 e 2011
    25:20