Brexit

May demite-se da liderança do partido Conservador a 7 de junho

Hannah Mckay

PM britânica anuncia demissão devido ao fracasso no Brexit.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou hoje que vai demitir-se da liderança do partido Conservador, desencadeando uma eleição interna cujo vencedor vai assumir a chefia do governo.

May explicou as razões da demissão.

"Contra todas as previsões, os britânicos votaram a favor da saída da união e quando damos oportunidade às pessoas de votar temos de implementar o que elas decidiram. Fiz o melhor que pude, mas não fui capaz. Tentei três vezes".

No final do discurso, em Downing Street, a primeira-ministra britânica emocionou-se.

May mantém-se em funções até que o partido tenha eleito um novo líder, o que não deverá acontecer até ao final de julho, incluindo durante a visita de Estado do presidente dos EUA, Donald Trump, entre 03 e 05 de junho.


Enquanto primeira-ministra, não pode renunciar até que esteja em posição de dizer à rainha Isabel II quem esta deve nomear como sucessor.

A demissão da liderança deverá tornar-se efetiva a 10 de junho, iniciando os procedimentos, que passam, numa primeira fase, por uma série de votações dentro do grupo parlamentar que eliminam progressivamente os vários candidatos a apenas dois, que depois serão sujeitos ao voto de todos os militantes do partido.

O ex-ministro britânico Boris Johnson chega à Downing Street em Londres, no Reino Unido

O ex-ministro britânico Boris Johnson chega à Downing Street em Londres, no Reino Unido

Toby Melville

Boris Johnson, é o senhor que se segue(?)

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Boris Johnson está entre os favoritos para a substituir.

O ex-prefeito de Londres disse que seria "naturalmente" candidato ao cargo de primeiro-ministro.


"Bojo", de 54 anos, foi um dos grandes arquitetos da vitória do 'Brexit' no referendo de junho de 2016, e continua a ser a cara mais conhecida entre os defensores da saída da União Europeia.


Ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, criticou a estratégia de Theresa May nas negociações com Bruxelas e acabou por deixar o Governo para defender uma rutura clara com a UE.


Hábil e carismático, é popular junto dos militantes de base, mas menos entre os seus pares, que lembram várias vezes as suas 'gaffes' e um certo amadorismo.


Theresa May esteve 3 anos no poder

Theresa May, de 62 anos, assumiu o cargo em julho de 2016, pouco depois de os britânicos terem votado a favor do Brexit (52%) no referendo de 23 de junho de 2016.

POOL New


Até agora, a líder não conseguiu reunir consenso quanto às condições para a saída da União Europeia entre a classe política, profundamente dividida sobre a questão, como também está a sociedade britânica.


O acordo de saída negociado com Bruxelas foi rejeitado três vezes pelos parlamentares, o que obrigou o executivo a adiar o Brexit até 31 de outubro, quando a data inicial era 29 de março, e realizar ainda as eleições para o Parlamento Europeu.

O editor de internacional do jornal Expresso analisa o anúncio da saída de Theresa May. "Seja quem for o líder, o Parlamento britânico mantém-se o mesmo, onde os conservadores não têm maioria", considera Pedro Cordeiro.