Brexit

Juncker e Johnson analisam reunião do G7 e desenvolvimentos no Brexit

NEIL HALL

Quando o conservador britânico assumiu o cargo de primeiro-ministro, prometeu sair da UE na data prevista, 31 de outubro, com ou sem acordo.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, vai conversar esta terça-feira, por telefone, com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, para analisar a cimeira do G7 do passado fim de semana e os últimos desenvolvimentos no Brexit, anunciou fonte comunitária.

O anúncio sobre aquela que será a segunda chamada telefónica desde que Boris Johnson assumiu o cargo de primeiro-ministro, no final de julho, foi feito na conferência de imprensa diária do executivo comunitário, em Bruxelas.

"O presidente Juncker tem uma chamada agendada com o primeiro-ministro do Reino Unido hoje à tarde. Será a segunda vez que eles terão oportunidade de conversar [via telefone, após uma primeira de felicitações, em julho] e servirá para trocar impressões após a reunião do G7", especificou a porta-voz da Comissão Europeia Mina Andreeva.

O G7 - grupo informal composto por sete países (Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Japão, França, Reino Unido e Itália) que estão entre as maiores economias do mundo, além da União Europeia - esteve reunido este fim de semana na cidade francesa de Biarritz.

Segundo Mina Andreeva, na chamada telefónica entre Juncker e Johnson será, também, abordada a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), sendo que, desde que, quando o conservador britânico assumiu o cargo de primeiro-ministro, prometeu sair da UE na data prevista, 31 de outubro, com ou sem acordo.

"Estamos prontos para ouvir as propostas construtivas do Reino Unido, que devem ser compatíveis com o acordo de saída [já firmado]. E é nesse espírito de compromisso e de produtividade que os dois responsáveis vão conversar", apontou a porta-voz Mina Andreeva.

No final de julho, o líder do partido Conservador, Boris Johnson, foi indigitado primeiro-ministro britânico pela Rainha Isabel II, na sequência da demissão formal de Theresa May devido à dificuldade em aplicar o Brexit.

Boris Johnson, o 14.º primeiro-ministro do reinado de Isabel II, foi empossado numa breve audiência no palácio de Buckingham.

Sucessora de David Cameron, que se demitiu após o referendo que ditou a saída do Reino Unido da UE em 2016, Theresa May esteve em funções durante três anos, mas em maio anunciou a decisão de renunciar devido à dificuldade em completar o processo do Brexit.

O Reino Unido tinha previsto sair da UE a 29 de março deste ano, mas o chumbo pelo parlamento do Acordo de Saída negociado pelo então governo de Theresa May com Bruxelas e a oposição a uma saída sem acordo levou a um adiamento do processo até 31 de outubro.

Lusa