Brexit

Governo irlandês cria pacote orçamental para precaver Brexit sem acordo

Dylan Martinez

"O Brexit é o risco mais urgente e imediato para a nossa economia".

O ministro das Finanças da Irlanda, Paschal Donohoe, anunciou esta terça-feira um pacote de apoio à economia no valor de 1,2 mil milhões de euros, para acudir ao impacto de um possível Brexit sem acordo.

Perante a cada vez mais previsível saída do Reino Unido da União Europeia (UE) sem acordo, o Governo irlandês está a precaver-se orçamentalmente para o impacto desse cenário.

"O Brexit é o risco mais urgente e imediato para a nossa economia", concedeu o ministro das Finanças irlandês, perante o Parlamento, acrescentando que uma saída sem acordo será muito difícil de acomodar sem um plano de contingência.

Nas contas do Governo de Dublin, o Brexit sem um acordo - que restaurará as fronteiras físicas entre a Irlanda, membro da UE, e a Irlanda do Norte, uma província que faz parte do Reino Unido - poderá afetar 55.000 trabalhadores irlandeses e mergulhar o Produto Interno Bruto do país em 6%.

"Devemos, portanto, aumentar o nível de apoio à economia", disse, referindo-se a um aumento de investimento estatal no total de 1,2 mil milhões de euros.

Desse aumento, 600 milhões de euros serão injetados para ajudar setores-chave da economia irlandesa, como a agricultura ou o turismo, que deverão permitir absorver o choque de um 'Brexit' sem acordo nessas áreas.

"Este é um orçamento sem precedentes (...), mas estes são tempos sem precedentes", disse o ministro, acrescentando que "as perspetivas para o 'Brexit' apontam para uma saída sem acordo", embora sem que isso signifique que o cenário seja "inevitável".

"Vamos enfrentar os desafios de um 'Brexit' sem acordo numa posição de força [...] Estamos prontos" para esse cenário, insistiu Donohoe, referindo-se à componente económica do problema.

Politicamente, o retorno das fronteiras também ameaçaria a paz com a Irlanda do Norte após décadas de conflito sangrento.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu uma saída do Reino Unido da União Europeia, em qualquer condição, até 31 de outubro, enquanto as negociações entre Londres e Bruxelas continuam num impasse.

Lusa

  • Uma “má vizinhança” que durou 20 anos e um homicida que se diz inocente
    22:23