Brexit

Dirigentes europeus saúdam "boa notícia" do acordo do Brexit mas pedem cautela e prudência

As primeiras reações de dirigentes europeus ao anúncio de um novo acordo de Brexit são de satisfação, mas também de prudência, dado que o texto ainda tem de ser aprovado pelo Parlamento britânico.

A UE e o Reino Unido anunciaram hoje ter chegado a acordo para a saída do país do bloco comunitário, depois de longas e intensas negociações nos últimos dias.

O acordo tem de ser validado pelos chefes de Estado e de Governo, reunidos em Conselho Europeu hoje e sexta-feira, e ratificado pelo Parlamento britânico e pelo Parlamento Europeu (PE).

"Estou satisfeito por termos conseguido alcançá-lo", disse o Presidente de França, Emmanuel Macron, acrescentando tratar-se de "uma boa notícia".

O chefe de Estado francês, que falava numa reunião do seu grupo político europeu, o Renovar a Europa (RE, liberal), advertiu, contudo, que é preciso manter a prudência.

"Como o passado nos mostrou, devemos manter-nos razoavelmente cautelosos", disse.

Na mesma linha, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Irlanda, Simon Coveney, saudou o anúncio de um acordo como "um grande passo em frente", mas pediu igualmente "prudência".

"A primeira coisa que faria seria pedir prudência", disse Coveney no parlamento irlandês.

"Não é o fim do processo", acrescentou, evocando as etapas de ratificação, para admitir, contudo, que fechar o documento "é um grande passo em frente".

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, elogiou o que qualificou de "feito diplomático" e "prova de que todos trabalharam muito responsavelmente".

O ministro alemão, que falava à imprensa em Berlim, advertiu igualmente que o processo passa ainda pela validação do Conselho e pela ratificação do PE e do parlamento britânico.

Lusa