Caso CGD

Governador do BdP escusa-se a todas as decisões sobre a CGD por ter sido administrador

Governador do BdP escusa-se a todas as decisões sobre a CGD por ter sido administrador

O Governador do Banco de Portugal pediu escusa de todas as decisões que envolvam a Caixa Geral de Depósitos e a auditoria que apontou falhas graves à gestão do banco público. Carlos Costa alega incompatibilidade porque foi administrador do banco do Estado entre 2004 e 2006.