Caso CGD

Teixeira dos Santos não se arrepende de ter nomeado Vara e Santos Ferreira

Teixeira dos Santos não se arrepende de ter nomeado Vara e Santos Ferreira

Ex-ministro diz ainda que assume responsabilidade pela escolha dos nomes, mas não pelos atos praticados.

O ex-ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos disse esta quarta-feira no Parlamento que não tem "razões para se arrepender" de ter nomeado Armando Vara e Carlos Santos Ferreira para a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

"Até este momento não tenho razões para me arrepender dessas nomeações", afirmou Teixeira dos Santos, ouvido na segunda comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão do banco público.

Em resposta ao deputado do PSD Duarte Marques, o ex-ministro das Finanças do Governo de José Sócrates adiantou que "nunca" ouviu "qualquer reparo crítico ao desempenho dos membros desse conselho de administração".

Sobre Armando Vara, o ex-governante declarou que "não tinha menos experiência do que outros nomeados por governos anteriores".

Fernando Teixeira dos Santos garantiu ainda que "o acionista [Estado] nunca interferiu em qualquer operação que tenha sido efetuada pela Caixa".

"Não fiz muito no que tem a ver no conjunto de situações que está aqui em análise e que tem merecido a atenção dos senhores deputados", afirmou o atual presidente do Banco BIC.