Ciclone Idai

"Um verdadeiro desastre humanitário de grandes proporções", lamenta Presidente moçambicano

A tempestade Idai arrasou todo o território por onde passou: Manica e Sofala, as províncias mais afetadas de Moçambique, perderam infraestruturas, terrenos de cultivo, habitações, comunicações.

Há 84 mortos confirmados e cerca de 1.500 feridos, mas só quando as cheias provocadas pelo ciclone abrandarem, se perceberá a extensão da tragédia. É essa a convicção do Presidente Filipe Nyusi que fala em calamidade nacional e em mail de mil mortos.

O Conselho de Ministros moçambicano reúne-se na Beira para accionar os planos de apoio à população.