Ciclone Idai

"Já nem massa comemos, só comemos bananas todos os dias"

Enviados SIC

"Já nem massa comemos, só comemos bananas todos os dias"

O relato de um grupo de crianças que vive num pequeno acampamento na cidade da Beira, em Moçambique.

As zonas rurais são as mais afetadas pela passagem do ciclone Idai.

Os enviados da SIC, Ana Peneda Moreira e Rafael Homem, testemunharam que muitos moçambicanos continuam à espera de ajuda e de comida.

A estrada de acesso à cidade da Beira foi reaberta no sábado, ao final do dia, após uma semana de isolamento. A estrada tinha sido cortada no sábado, dia 16, quando as cheias provocaram correntes que arrastaram pontes, terrenos que sustentam a via e asfalto em diferentes troços.

A cidade da Beira foi a que sofreu com o primeiro e mais forte impacto do ciclone, mas "há outros distritos afetados e que ainda precisam de normalizar as suas vidas", apontou o governante.

O mais recente balanço do ciclone Idai feito pelas autoridades moçambicanas, apresentando hoje, aponta para 446 vítimas mortais.