Ciclone Idai

Tribunal da Beira condena duas pessoas por desvio de donativos após Idai

Mulheres e crianças aguardam por ajuda num dos campos de deslocados do ciclone Idai na província da Beira, em Moçambique

Tsvangirayi Mukwazhi

Trata-se um grupo de três pessoas, um das quais absolvida.

O Tribunal Judicial da Cidade da Beira, no centro de Moçambique, condenou esta sexta-feira duas pessoas a pena de um ano de prisão por desvio de donativos destinados às vítimas do ciclone Idai.

"O tribunal condena dois réus a 12 meses de prisão pelo crime de furto", disse o juiz Sérgio Nunes, durante o julgamento.

Trata-se um grupo de três pessoas, um das quais absolvida, que estavam a responder pelo desvio de 19 sacos de arroz, 19 sacos de farinha, 11 sacos de soja e um saco de feijão no bairro da Manga, na Beira.

Além da pena de prisão, que pode ser convertida em multa, são também obrigados a pagar uma taxa diária de 250 meticais (3 euros).

O ciclone Idai atingiu a região centro de Moçambique, o Maláui e o Zimbabué em 14 de março.

Em Moçambique, segundo dados do INGC, a passagem do ciclone Idai terá afetado 1,4 milhões de pessoas, provocando, pelo menos, 603 mortos e mais de 1.600 feridos.

Lusa

  • A saga do prédio Coutinho
    6:43
  • Descobrir as rotas do Alentejo
    14:59
  • Cepas da Serra
    10:16