Coronavírus

Nicolás Maduro diz que coronavírus é “arma de guerra” criada contra a China

MIGUEL GUTIERREZ HANDOUT

O Presidente da Venezuela fala numa guerra biológica.

Especial Coronavírus

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, atribuiu esta sexta-feira o surto do coronavírus Covid-19 a uma guerra biológica contra a China e anunciou a criação de uma comissão presidencial para enfrentar a epidemia do vírus.

"Há muitas análises no mundo que já demonstram que o coronavírus pode ser uma cepa criada para a guerra biológica contra a China", disse.

Nicolás Maduro falava durante uma alocução ao país, obrigatoriamente transmitida em direto pelas rádios e televisões venezuelanas, durante a qual pediu à população que se una para combater o novo vírus.

"Já são muitos os elementos que são vistos na análise mundial e há que levantar a voz, chamar a atenção e tocar a campainha, alertar, que não seja o coronavírus uma arma de guerra, que está a ser usada contra a China e agora contra os povos do mundo em geral", frisou.

Segundo Nicolás Maduro a Venezuela "tem voz própria para alertar para essas coisas".

"Observem como o coronavírus tem avançado. Hoje criou-se uma comissão presidencial para atender o tema do coronavírus (...), hoje passaram revista a todos os mecanismos de prevenção, aos reagentes que felizmente temos no país e já temos um plano para enfrentar este ataque", disse.

Nicolás Maduro precisou que a comissão será liderada pela vice-presidente executiva da Venezuela, Delcy Rodríguez.

"A humanidade viveu séculos com pestes. A maior peste que nos chegou foi a invasão imperialista da Europa que trouxe a varíola, as doenças venéreas, o sarampo e todas as doenças que os avós dos nossos avós, Guaicaipuro, Terepaima, Chacao, Caricuao, Naiguatá (caciques indígenas) viram como doenças, chegaram e mataram milhões, e passámos dos 100 milhões de indígenas que éramos para três milhões em 100 anos", disse.

Nicolás Maduro explicou ainda que os vírus dessa invasão imperialista "acabaram com toda a população de um continente, da América".

"Não se pode esquecer. Exterminaram-nos, com as doenças que trouxeram. Os índios que viviam nesta terra, viviam tranquilos, em paz e sãos (...) agora estamos perante o coronavírus, sem dúvida uma ameaça", disse.

O Presidente da Venezuela anunciou que vai iniciar "uma campanha preventiva para se saber o que é o coronavírus, para se tomarem todas as medidas preventivas em casa, no lar, na escola, na fábrica, no centro de trabalho, na rua".

"A Venezuela, com o seu sistema de saúde pública e um povo consciente, vai enfrentar esta ameaça desse vírus (...) Peço as bênção de Deus e a união do povo para que todas as medidas que estão sendo tomadas sejam bem-sucedidas em prol da saúde e da vida do nosso povo", frisou.

  • Eventual reabertura das escolas discutida hoje. China sem mortes pela primeira vez desde janeiro

    Coronavírus

    O Presidente da República e o primeiro-ministro vão hoje ouvir os especialistas em saúde pública sobre a eventual reabertura das escolas. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa querem perceber se é seguro voltar a abrir os estabelecimentos de ensino, que fecharam há quase um mês. A China não registou qualquer morte por Covid-19 nas últimas 24 horas. É a primeira vez que acontece desde janeiro, quando começaram as estatísticas sobre a pandemia do novo coronavírus em Wuhan. Siga aqui ao minuto as últimas informações.

    Direto

    SIC Notícias