Coronavírus

Primeiro-ministro italiano diz que o país vive "a hora mais negra de sempre"

400 mortos, 8 mil infetados e 16 milhões de pessoas isoladas é o ponto de situação em Itália.

Saiba mais...

O Governo italiano declarou estado de emergência até julho e impôs um cordão sanitário à região da Lombardia e a outras 14 províncias do norte para tentar conter a propagação do vírus.

Só é possível sair destas regiões com justificação laboral ou familiar. Estão proibidos eventos culturais, desportivos e religiosos e as aulas em todos os estabelecimentos de ensino estão suspensas.

As medidas sanitárias estão a provocar revoltas nas prisões, os reclusos criticam a falta de proteção contra a Covid-19.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, cita Winston Churchill e diz que o país vive "a hora mais negra de sempre".

Veja também:

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros