Coronavírus

Marrocos registou a primeira morte devido ao coronavírus

Rafael Marchante

Uma mulher de 89 anos que sofria de doenças crónicas.

Especial Coronavírus

O Marrocos anunciou esta terça-feira a primeira morte relacionada com o novo coronavírus, uma mulher de 89 anos que sofria de doenças crónicas, de acordo com o Ministério da Saúde marroquino.

A vítima, que residia habitualmente em Itália, "sofria de doenças crónicas, principalmente nos sistemas respiratório e cardiovascular", afirmou o Ministério num comunicado.

A mulher regressou o Marrocos no final de fevereiro e foi diagnosticada com o novo coronavírus, tendo sido transferida para um hospital em Casablanca, no oeste do país, e estava sob supervisão médica.

O seu caso foi considerado "crítico" pelas autoridades de saúde marroquinas.Além dessa morte, a primeira ligada à epidemia do Covid-19 no país, dois casos do novo coronavírus foram confirmados: um marroquino que voltou de Itália e um turista francês que chegou a Marraquexe, no sul do Marrocos, no sábado.

Os dois estão sob supervisão médica.

As autoridades marroquinas restringiram eventos desportivos e culturais, em especial, impondo provas desportivas à porta fechada.

Vários eventos públicos, como a feira agrícola anual, também foram cancelados.Segundo a imprensa marroquina, os cancelamentos de viagens estão a começar a pesar no setor de turismo, que é vital para a economia do país.

Ao mesmo tempo, as autoridades marroquinas estão a tentar combater a proliferação de informações falsas nas redes sociais sobre a epidemia. Várias pessoas foram presas nos últimos dias por disseminar notícias falsas sobre o novo coronavírus.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos.Cerca de 114 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 463 mortos e mais de 9.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

A quarentena imposta pelo governo italiano ao norte do país foi alargada a toda a Itália.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5.000 pessoas.

A China registou segunda-feira mais uma queda no número de novos casos de infeção, 19, face a 40 no dia anterior, somando agora um total de 80.754 infetados e 3.136 mortos, na China Continental.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Veja também: