Coronavírus

Pandemia de Covid-19 já matou mais de 4.900 pessoas e infetou 133.970

Ciro De Luca

Balanço atualizado às 9:00.

Especial Coronavírus

O número de pessoas infetadas desde dezembro pelo novo coronavírus no mundo aumentou para 133.970 e o número de mortes subiu para 4.958, segundo um balanço feito pela agência noticiosa France-Presse (AFP).

Citando fontes oficiais, a AFP refere, num balanço com dados atualizados às 09:00 de hoje, que, no total, foram registadas em 120 países e territórios 2.513 contaminações e 35 novas mortes desde o último balanço, às 17:00 de quarta-feira.

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau), onde a pandemia eclodiu no final de dezembro, contabilizou um total de 80.813 casos, incluindo 3.176 mortes e 64.111 curados. Entre as 17:00 de quinta-feira e as 09:00 de hoje foram anunciadas 20 novas infeções e e sete novas mortes no país.

Em outras partes do mundo, houve até às 09:00 GMT, um total de 1.782 mortes (28 novas) para 53.163 casos (2.493 novos).

Os países mais afetados depois da China são:

  • Itália, com 1.016 mortes para 15.113 casos,
  • Irão com 429 mortes (10.075 casos),
  • Espanha com 84 mortes (3.004 casos)
  • Coreia do Sul com 67 mortes (7.979 casos)

Desde quinta-feira às 17:00, a Índia e a Noruega anunciaram as primeiras mortes relacionadas com o vírus.

Gana, Gabão, Quénia e São Vicente e Granadinas (Caraíbas) anunciaram o diagnóstico dos primeiros casos.

Portugal com 78 casos confirmados

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados e um dos infetados curado.

Medidas excecionais pelo mundo

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 15.000 infetados e pelo menos 1.016 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou quinta-feira o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (19), ao passar de 59 para 78, dos quais 69 estão internados.

A região Norte continua a ser a que regista o maior número de casos confirmados (44), seguida da Grande Lisboa (23) e das regiões Centro e do Algarve, ambas com cinco casos confirmados da doença.

As escolas de todos os graus de ensino vão suspender todas as atividades letivas presenciais a partir de segunda-feira, devido ao surto Covid-19, anunciou quinta-feira o primeiro-ministro, António Costa, numa declaração ao país.

Várias universidades e outras escolas já tinham decidido suspender as atividades letivas.

O Governo decidiu também declarar o estado de alerta em todo o país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

SIGA AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE O SURTO DE COVID-19

Veja também: