Coronavírus

Covid-19: Polícia brasileira captura 444 presos fugitivos

Brasil suspendeu as saídas temporárias da prisão para evitar propagação do novo coronavírus.

Especial Coronavírus

Autoridades brasileiras anunciaram esta terça-feira a captura de 444 presos que tinham fugido no dia anterior de quatro cadeias no estado de São Paulo, após o anúncio da suspensão de saídas temporárias para evitar a propagação da Covid-19.

"Às 08:15 da manhã (11:15 em Lisboa) de terça-feira, 444 prisioneiros foram capturados pela Polícia Militar com o apoio de agentes de segurança penitenciária", anunciou a Secretaria da Administração Penitenciária do estado de São Paulo em comunicado.

O governo local também garantiu que "a situação estava sob controlo" nos quatro centros penitenciários onde ocorreram as fugas sem especificar o número total de prisioneiros que haviam escapado.

Os média locais relatam que quase 600 prisioneiros haviam fugido.Na noite de segunda-feira, centenas de prisioneiros escaparam após a decisão das autoridades de suspender as saídas temporárias permitidas pelo regime de semiliberdade a que cerca de 34.000 detidos têm direito no estado, para evitar a propagação do novo coronavírus.

As autoridades acreditavam que, com o regresso dos detidos às prisões "haveria um grande risco de introduzir e espalhar o coronavírus entre uma população vulnerável". Esses prisioneiros em regime de liberdade condicional têm o direito de deixar a sua cela durante o dia para ir trabalhar ou estudar.

Os presos recapturados "perderam o direito de se beneficiar do regime de semiliberdade e cumprirão a sua sentença sob o regime fechado", afirmou o coronel da Polícia Militar Nivaldo Cesar Restivo, funcionário da administração penitenciária, em entrevista à rede Globo.

O Brasil, um país de 210 milhões de habitantes, tem mais de 200 casos de contaminação e anunciou hoje a primeira morte causada pela Covid-19, em São Paulo.