Coronavírus

Desinformação sobre a Covid-19 no WhatsApp preocupa autoridades

Dado Ruvic

O Facebook já anunciou medidas para combater a desinformação na aplicação de mensagens instantâneas.

Especial Coronavírus

Com o aumento de casos de Covid-19 por todo o mundo, governos e oficiais de saúde tentam arranjar formas de informar as pessoas sobre o novo coronavírus. No entanto, a desinformação e as falsas curas apresentadas nas redes sociais são um problema que continua a existir e que os países têm de enfrentar.

Os olhos estão virados para o WhatsApp, uma das aplicações que pertence ao Facebook, e na maneira como a rede social de mensagens instantâneas lida com a desinformação sobre o coronavírus, que já infetou mais de 340 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15 mil morreram.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

De acordo com a CNN, a aplicação está a ser usada para espalhar mensagens que, apesar de conterem alguma informação correta, têm também alegações falsas que têm sido desmentidas por especialistas.

Uma das falsas informações que passaram pela rede social é que beber água de 15 em 15 minutos neutraliza o coronavírus.

O caso já levou vários líderes mundiais a pedir que parassem de partilhar, através da rede social, informações que não fossem confirmadas.

Um dos líderes foi o primeiro-ministro da Irlanda, que fez um apelo na sua conta oficial do Twitter. "Estas mensagens são assustadoras, estão a confundir as pessoas e a causar danos reais."

"É claro que continua a aparecer desinformação na esfera pública. Em particular, precisamos de perceber melhor os riscos relativos às comunicações em serviços encriptado", disse a vice-presidente da Comissão Europeia, Věra Jourová, citada pela emissora norte-americana.

As mensagens do WhatsApp são encriptadas de uma maneira que só aqueles que enviam e que recebem conseguem ver. Isto impede que os oficiais de saúde e as autoridades de todo o mundo percebam de onde vêm as informações falsas sobre o coronavírus.

Perante o problema, o Facebook já confirmou que está a combater a desinformação através de medidas como a promoção de organizações mundiais de saúde, com anúncios que abrem uma nova conversa no WhatsApp com a organização em questão.

Veja também: