Coronavírus

Farmácias e CTT lançam serviço de entrega de medicamentos em casa

Serviço tem um custo de três euros mais IVA por entrega até 30 de abril.

Especial Coronavírus

A Associação Nacional de Farmácias (ANF) e os Correios de Portugal (CTT) juntaram-se para lançar, a partir de hoje, um novo serviço de entrega de medicamentos ao domicílio, em resposta à pandemia de covid-19.

"Os portugueses vão poder receber medicamentos em casa em todo o país. Um novo serviço farmacêutico postal permite aos cidadãos fazer encomendas às farmácias à distância, por e-mail ou telefone. Poderão ainda receber em casa os medicamentos temporariamente indisponíveis na sua farmácia, sem necessitarem de uma segunda deslocação", anunciaram a ANF e os CTT em comunicado conjunto.

A ANF e os CTT salientam que a iniciativa vai "facilitar a quarentena dos portugueses", evitando deslocações às farmácias para a compra de medicamentos.

A lista de farmácias aderentes e todos os contactos necessários para fazer as encomendas estão disponíveis nos sites www.farmaciasportuguesas.pt e www.ctt.pt.

Os CTT garantem a entrega no dia seguinte de todas as encomendas realizadas até às 16 horas.

"Tendo em conta o atual contexto de epidemia, o serviço será disponibilizado a um preço promocional, até 30 de abril, de três euros mais IVA por entrega", informam as entidades.

O serviço está preparado para responder às receitas médicas, mas também a necessidades de outros medicamentos e produtos de saúde.

"Com este novo serviço, os CTT ajudam os portugueses a cumprir as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), entregando em casa os medicamentos, contribuindo para a segurança e bem-estar de todos", realçou João Sousa, administrador dos CTT.

Por seu turno, Cristina Gaspar, vice-presidente da ANF, assinalou que "como maior rede de saúde pública em Portugal, as farmácias assumem a responsabilidade de adotar todas as medidas úteis à contenção desta epidemia".

No comunicado é ainda vincado que "os CTT estão desde a primeira hora a implementar medidas de mitigação de contágio pelo novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, na sua rede de retalho e em todo o processo de tratamento e entrega de correio e encomendas".

Coronavírus provoca cerca de 22 mil mortos em todo o mundo

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 22.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Mais de 250 mil casos de Covid-19 diagnosticados na Europa

Com 258.068 casos, 14.460 mortais, a Europa é atualmente o continente mais atingido pela pandemia, à frente da Ásia (100.937 casos e 3.636 mortes), foco inicial do surto.

Para tentar conter o surto, os governos da UE estão a adotar medidas como o confinamento dos cidadãos e o fecho ou controlo de fronteiras, tendo ainda sido adotada uma suspensão das viagens (nomeadamente as aéreas) não essenciais.

Mais 17 mortes e 549 casos de Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 60 mortes e 3.544 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu de 43 para 60 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 2.995 para 3.544, mais 549 relação a ontem, uma subida que representa um aumento de 18,3%.

Há, ao todo, 43 casos recuperados a registar, mais 21 que ontem.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também:

  • 140 mortos e 6.408 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O último balanço da DGS refere a existência de 140 mortes e 6.408 infetados com o novo coronavírus em Portugal. Mais 21 óbitos e 446 casos em relação a ontem, o que representa um aumento de 7,5% no número de casos. Arrancou hoje um programa de testes à Covid-19 em todos os lares de idosos do país. A medida do Governo visa evitar novos focos de contágio. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias