Coronavírus

Chanceler alemã termina quarentena após três testes negativos à Covid-19

CLEMENS BILAN / POOL

A Alemanha tem mais de 79.600 casos de pessoas infetadas pelo novo coronavírus.

Especial Coronavírus

A chanceler alemã, Angela Merkel, terminou hoje a sua quarentena de 14 dias e regressou a sede do Governo, após três testes indicarem que não está infetada com o coronavírus, disse um porta-voz da chancelaria.


"A chanceler volta hoje ao seu local de trabalho", mas continuará a liderar a Alemanha por áudio e videoconferência, disse Steffen Seibert, em conferência de imprensa.


A chanceler, de 65 anos, decidiu, em 22 de março, colocar-se em quarentena, confinada à sua casa, em Berlim, depois de ter estado em contacto com um médico que estava infetado.


Desde então, Angela Merkel realizou três testes, todos com resultados negativos, mas permaneceu isolada até ao final da sua quarentena de 14 dias.


Numa gravação de áudio, a chanceler, no poder desde 2005, confessou ter vivido esse confinamento com dificuldade e sem contacto com os seus ministros e conselheiros.
"Infelizmente, o número diário de novas infeções não nos dá motivos para relaxar ou relaxar as regras", disse.


A chanceler registou um ressurgimento da sua popularidade entre os alemães desde o início do surto, que consideraram boa a forma como geriu a crise, sendo que a Alemanha tem uma taxa de mortalidade causada pela Covid-19 menor do que a dos seus vizinhos europeus.


O Instituto Robert Koch, o centro de epidemiologia da Alemanha, anunciou que as medidas restritivas que estarão em vigor até, pelo menos, 19 de abril, já começaram a surtir efeito, retardando a propagação do novo coronavírus.


Atualmente, segundo o mesmo instituto, a Alemanha tem 79.696 casos de pessoas infetadas pelo novo coronavírus e 1.017 mortes.

ESPECIAL CORONAVÍRUS

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

  • 53:58