Coronavírus

DGS promove atividade física para combater sedentarismo no isolamento

Uma rapariga pratica Ioga junto ao lago de Ocrida, na Macedónia.

Ognen Teofilovski

"São dias e dias seguidos, com as pessoas fechadas em casa que podem estar a ver mais televisão e a passarem mais horas no computador".

Especial Coronavírus

A Direção-Geral de Saúde (DGS) lança esta segunda-feira, Dia Mundial da Atividade Física, um diretório de atividades para o atual contexto de isolamento social que, no entender da responsável do programa, "é uma altura de risco para o sedentarismo".

"A atividade física tem um papel muito importante na gestão do 'stress', na promoção de um sono mais tranquilo, na libertação de endorfinas e promoção de emoções positivas e, portanto, é agora mais do que nunca fundamental", defendeu Marlene Silva.

A diretora do programa nacional para a promoção da atividade física da DGS considerou que o confinamento social que agora se vive "torna ainda mais importante falar de atividade física e do papel fundamental que a atividade física tem na manutenção da saúde física e mental" dos indivíduos.

Em declarações à agência Lusa, Marlene Silva explicou que este diretório que hoje é lançado, para assinalar o Dia Mundial da Atividade Física, compila uma série de iniciativas fornecidas por instituições de ensino superior, entidades governamentais e de utilidade pública ligadas à atividade física e de desporto.

"A direção-geral de saúde pretende ser um agente disseminador dessas iniciativas públicas de promoção de atividade física", assumiu Marlene Silva, que admitiu que no contexto atual, de confinamento e teletrabalho, "é um momento de risco de inatividade física e de sedentarismo".

Esta responsável sabe que "são dias e dias seguidos, com as pessoas fechadas em casa que podem estar a ver mais televisão e a passarem mais horas no computador em teletrabalho" e, daí, "a recomendação da interrupção do comportamento sedentário, de 30 em 30 minutos".

Para isso, adianta, "basta recorrer a várias estratégias" como, por exemplo, por um alarme, deixar o comando da televisão longe do alcance da mão ou atender os telefonemas de pé para lembrar as pessoas de se levantarem periodicamente.

Marlene Silva lembra que, desde o início do isolamento social causado pela pandemia da covid-19, o programa nacional para a promoção da atividade física da DGS tem emitido uma "série de conselhos" como a dança, o saltar à corda ou atividades com crianças como a macaca ou o jogo do elástico, agora, este diretório apresenta, por exemplo, "aulas em direto".

O documento tem também, por exemplo, vídeos de instituições de ensino superior com aulas e exercícios para todas as idades que podem ser realizados em casa e plataformas para monitorizar a atividade diária e quantificar os movimentos dentro de casa.

Ou, por exemplo, plataformas para prescrição e monitorização de atividade física nos cuidados de saúde primários no âmbito da doença metabólica ou do exercício físico prescrito em programas de reabilitação cardíaca quando estão a ser realizados em ambulatório.

SIGA AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19