Coronavírus

Um casal com 11 filhos. Estão todos infetados na mesma casa

diariodecastillayleon.elmundo.es

O diário de uma família numerosa em isolamento, em Espanha.

Especial Coronavírus

Irene Gervás, enfermeira de profissão, começou a sentir dores de cabeça, a 12 de março, quando ainda não tinha sido decretado o estado de emergência em Espanha. Na altura não deu importância ao sintoma, uma vez que a vida agitada ligada à profissão e os 11 filhos em casa para cuidar diariamente, devido ao encerramento das escolas, poderia ser o motivo.

Dias mais tarde, José Maria, marido de Irene, também começou a apresentar sintomas, enquanto que os da sua mulher se intensificavam. Irene, para além das dores de cabeça, já tinha "febre aguda, tosse e dores musculares". O resultado positivo para a Covid-19, que chegou dias depois, acabou por confirmar o que já desconfiavam.

De acordo com o jornal El Español, o casal tencionava isolar-se dos 11 filhos - com idades entre os 1 e os 15 anos. No entanto, num apartamento com 170 metros quadrados, inserido num prédio de 10 andares, na cidade de Valladolid, a tarefa revelou-se complicada e os filhos acabaram por também manifestar sintomas relacionados com o surto viral.

"As crianças tinham dores de cabeça e muitos vómitos, mas em dia e meio já tinham superado. Foram momentos de angústia", revelou Irene Gervás.

Durante uma noite, José Maria apresentou sintomas agudos da doença, como falta de oxigénio e dificuldades respiratórias. Apesar da insistência por parte dos familiares para se dirigir às urgências, recusou por não querer deixar os seus filhos e a suas esposa sozinhos em casa.

"Agarrei-me à vida e recuperei, não tinha outra opção", disse.

"Ou planeávamos ou naufragávamos"

Ao 12.º de confinamento, o casal já apresenta sinais de recuperação, mas toda a família continua impedida de sair de casa.

As rotinas profissionais, através do teletrabalho, e escolares, numa plataforma online, mantiveram-se e foi preciso criar planos de tarefas para manter os mais novos ocupados, sendo que a ajuda de familiares tem sido fundamental.

Os planos diários estão divididos por horários, onde as crianças têm de cumprir os seus deveres escolares, mas também têm direito a tempo livre.

As compras de supermercado e de farmácia são realizadas pela internet e entregues no elevador, pelas empresas de distribuição. Do mesmo modo funciona o processo das refeições, que são preparadas pela mãe de Irene.

O casal conta que a religião os ajudou a superar os momentos mais difíceis e para programa de Páscoa, tencionam acompanhar o Papa Francisco pela televisão.

Espanha, o segundo país no mundo com mais casos de infeção pelo novo coronavírus, regista 135.032 infetados e 13.055 vítimas mortais por Covid-19.