Coronavírus

Já regressou a maioria dos portugueses no estrangeiro que pediu para voltar

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

JUAN CARLOS HIDALGO

Operações envolveram o Ministério dos Negócios Estrangeiros e toda a rede diplomática e consular portuguesa.

Especial Coronavírus

Cerca de 3.700 cidadãos portugueses que se encontravam no estrangeiro, três quartos dos que pediram apoio para regressar devido à pandemia da codiv-19, já estão em Portugal, anunciou esta terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Numa mensagem no Twitter, Augusto Santos Silva fez o ponto da situação do "apoio ao regresso dos portugueses retidos no estrangeiro por voos cancelados, ligações encerradas ou mesmo fronteiras fechadas".

Nas últimas semanas, prosseguiu o governante, o regresso destes portugueses exigiu um trabalho que envolveu o Ministério dos Negócios Estrangeiros e toda a rede diplomática e consular portuguesa, um pouco por todo o mundo.

"Já resolvemos mais de três quatros dos pedidos de apoio que tinham sido solicitados. Isso significa cerca de 3.700 portugueses, viajantes ocasionais, turistas, que puderam regressar ao nosso país", declarou.

Segundo Augusto Santos Silva, a diplomacia portuguesa dedicou "uma especial atenção aos estudantes Erasmus e, à data de hoje, mais de quatro centenas de estudantes que pediram apoio às autoridades portuguesas para regressar o conseguiram fazer". Isto significa, adiantou o ministro, que "a quase totalidade dos pedidos de apoio desses estudantes está hoje resolvida".

"É um esforço muito importante porque implicou ajudar ao regresso de nacionais portugueses que estavam na Europa, como na América, África, na Ásia ou na Oceania".

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros, "este trabalho ainda não está concluído".E ressalvou: "Só quando 100 por cento dos portugueses que pediram apoio tiverem a situação resolvida é que nós descansaremos".

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19