Coronavírus

Bruxelas disponibiliza 300 M€ para as pequenas e médias empresas

Michele Tantussi

As estimativas da Comissão Europeia indicam que, com este programa, se possam gerar investimentos de até 1,2 mil milhões de euros na Europa, quadruplicando o investimento inicial.

Especial Coronavírus

A Comissão Europeia anunciou hoje que vai disponibilizar 300 milhões de euros, através do Fundo Europeu de Investimento (FEI), para apoiar investimentos de pequenas e médias empresas (PME) “promissoras” que queiram crescer na Europa, visando aumentar a “soberania europeia”.

Em causa está o programa “Escalar”, que se traduz numa “nova abordagem de investimento, desenvolvida em conjunto com o FEI, para suportar capital de risco e financiamento para crescimento de PME promissoras, permitindo que estas aumentem a sua escala na Europa e ajudem a reforçar a soberania económica e tecnológica europeia”, informa o executivo comunitário.

Divulgado dias depois de o comissário europeu do Mercado Interno, Thierry Breton, ter defendido que a crise gerada pela Covid-19 deve funcionar como “catalisador” para melhorar a autossuficiência das empresas da União Europeia (UE), este instrumento “fornecerá até 300 milhões de euros com o objetivo de aumentar a capacidade de investimento com capitais de capital de risco e ‘private equity’”, precisa a instituição na nota.

Numa altura em que se discutem respostas económicas à crise gerada pela Covid-19, a Comissão Europeia pretende, com este programa paralelo, “melhorar o acesso ao financiamento pelas PME”, o que se torna “particularmente relevante na difícil situação económica em que estas companhias se encontram devido ao surto do novo coronavírus”, destaca a Comissão Europeia.

“Este instrumento apoiará empresas inovadoras durante e após a crise para garantir que a Europa se possa desenvolver e permanecer à frente nos desenvolvimentos tecnológicos globais e acelerar a sua recuperação económica”, salienta o executivo comunitário.

Citado pelo comunicado, o comissário europeu Thierry Breton vinca que, com o programa “Escalar”, Bruxelas está a “ajudar a desbloquear investimentos privados adicionais e significativos para apoiar a criação dos futuros líderes de mercado”.

Através do FEI, este instrumento irá suportar até 50% dos investimentos feitos pelas PME.

Para já, o “Escalar” ainda está em fase de piloto, mas o objetivo é que este se torne num instrumento financeiro europeu permanente, podendo figurar no próximo quadro financeiro plurianual (2021–2027).

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS