Coronavírus

FPF disponibiliza um milhão de euros aos clubes da II Liga

Reuters Staff

Jogadores da II Liga criam corrente para protestar fim do campeonato.

Especial Coronavírus

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) vai disponibilizar um milhão de euros aos clubes da II Liga, ao antecipar as verbas para o financiamento para infraestruturas da próxima temporada, confirmou hoje à Lusa fonte ligada ao processo.

Este montante disponibilizado pelo organismo federativo integra o fundo que incentiva os clubes na melhoria das condições dos estádios, mas que, excecionalmente, pode ser usado para outros fins.

A II Liga foi suspensa por tempo indeterminado em 12 de março, devido à pandemia de covid-19, após 24 das 34 jornadas, tendo o Governo excluído o regresso desta competição, no plano de desconfinamento apresentado na quinta-feira.

Anualmente, o fundo de infraestruturas é de um milhão de euros, com comparticipações iguais, de 500 mil euros, de Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) e FPF, esta última que decidiu antecipar os montantes correspondentes a 2020/21.

Os jogadores da II Liga portuguesa de futebol criaram hoje uma corrente solidária nas redes sociais a lamentar o fim do campeonato, apelando à igualdade com a I Liga que vai retomar a competição no final do mês.

"A ideia é todos os jogadores da II Liga colocarem uma foto a preto e branco nas redes sociais com o intuito de apelar à igualdade entre as duas Ligas e ao mesmo tempo revelar que estamos de luto com a decisão de não avançar com a II Liga", é o texto que circula entre os atletas nas redes sociais.

Edinho, do Cova da Piedade, Felix Mathaus, do Académico de Viseu, Fati e Fábio Espinho, do Feirense, e Fabinho e Filipe Gonçalves, da Oliveirense, são alguns dos jogadores que se juntaram ao protesto com o 'hashtag' #QueremosIgualdade.

O Governo definiu hoje, no plano de desconfinamento da pandemia de covid-19, que a I Liga de futebol e a final da Taça de Portugal vão poder ser disputados, permitindo também desportos individuais ao ar livre.

A retoma da I Liga de futebol, a partir de 30 e 31 de maio, está sujeita a aprovação da Direção-Geral da Saúde (DGS) de um plano sanitário, anunciou o primeiro-ministro, explicando que os jogos vão realizar-se sem a presença de público nos estádios.

O reinício do futebol profissional está limitado ao principal escalão, com a II Liga a não receber 'luz verde' para poder retomar a competição.

Faltam disputar 90 jogos do principal escalão, que é liderado pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, assim como a final da Taça de Portugal, que vai opor Benfica a FC Porto.

Na altura da suspensão, Nacional e Farense ocupavam os dois lugares de subida na II Liga, com os madeirenses no primeiro lugar, com 50 pontos, mais dois do que os algarvios.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS