Coronavírus

GP da Hungria de F1 vai ser à porta fechada

(GP da Hungria de F1 2019)

Laszlo Balogh

Em causa está o cumprimento da medida do governo húngaro que impede a realização de eventos com mais de 500 pessoas antes de 15 de agosto.

Especial Coronavírus

O Grande Prémio de Fórmula 1 da Hungria, previsto para decorrer em 02 de agosto, em Hungaroring, será realizado à porta fechada devido à pandemia do novo coronavírus, anunciaram hoje os organizadores.

Em causa está o cumprimento da medida do governo húngaro que impede a realização de eventos com mais de 500 pessoas antes de 15 de agosto.

A Fórmula 1 planeia começar a temporada no primeiro fim de semana de julho, com o Grande Prémio da Áustria, seguido do GP da Inglaterra (17 a 19 de julho), ambos sem a presença de público, mas o calendário atualizado ainda não foi revelado.

Em 27 de abril, o diretor geral da Fórmula 1, Chase Carey, expressou a sua confiança de que a época poderia começar no fim de semana de 03 a 05 de julho, na Áustria, e já sugeria que as primeiras corridas "seriam realizadas sem público".

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

"Mas esperamos que os espectadores possam fazer parte dos nossos eventos à medida que o calendário avança. Ainda temos que trabalhar alguns procedimentos com as equipas e com nossos parceiros para poder operar em cada país", disse na altura Chase Carey.

Desde o início da pandemia de covid-19 já foram adiadas ou canceladas 10 das 22 corridas previstas no calendário mundial. A mais recente a ser cancelada foi a prova francesa, prevista para 28 de junho, no circuito de Paul Ricard.

Com a declaração de pandemia, em 11 de março, inicialmente alguns eventos desportivos foram disputados sem público, mas, depois, começaram a ser cancelados, adiados -- nomeadamente os Jogos Olímpicos Tóquio2020, o Euro2020 e a Copa América -- ou suspensos, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais de todas as modalidades.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 233 mil mortos e infetou mais de 3,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Cerca de 987 mil doentes foram considerados curados.

  • 14:18
  • 2:34