Coronavírus

“Não posso ficar em casa, sou mãe e pai de quatro filhos”

Marco Carrasqueira

Marco Carrasqueira

Editor de Imagem

Covid-19: o País e o Mundo

Especial Coronavírus

Chimolo, Moçambique

Em Chimolo, Moçambique, as populações têm que se deslocar vários quilómetros a pé devido à falta de transportes, e mesmo quando os há, muitas vezes são impedidos de os utilizar por falta de uma máscara de proteção contra o novo coronavírus.

“Alguns carros até passam com poucas pessoas e quando param para subirmos exigem máscara. Sem máscara não se pode entrar e só resta caminhar até à cidade. A sobrevivência está difícil e o dinheiro não está a circular”, conta Fátima Paulino.

  • Moçambique é o país lusófono de África com mais casos de Covid-19

“Acabei de vir da moagem, mas sei que estou proibida de circular e devia ficar em casa. Tudo está a parecer um castigo, porque estamos a enfrentar dois problemas: a doença e a falta de transportes e compradores”, diz Fátima António.

Os pequenos agricultores não estão a conseguir vender as suas colheitas e muitos queixam-se de produtos a apodrecer nas hortas porque não têm como se deslocar ou não lhes é permitido transportar muitas quantidades nos carros.

“E agora como vamos vender? Como é que vamos sobreviver?”, questiona Maria Vilasse.

Maputo, Moçambique

Em Maputo estão a ser distribuídas máscaras gratuitamente às vendedoras locais. Os voluntários explicam que há quem não possa ficar em casa por uma “questão de sobrevivência”. As máscaras reutilizáveis ajudam a que os locais possam continuar a trabalhar, mas os voluntários sabem que “uma máscara não é tudo”.

“Não posso ficar em casa, sou mãe e pai de quatro filhos. Mas não há clientes, é muito difícil”, conta Graça Tomás, proprietária de um restaurante.

  • 3:05