Coronavírus

Três médicos russos caem de janelas de hospitais em circunstâncias misteriosas 

Maxim Shemetov

Profissionais de saúde estavam na linha da frente do combate à pandemia do coronavírus.

Especial Coronavírus

Três médicos na linha da frente da covid-19 caíram misteriosamente de janelas de hospitais na Rússia, nas últimas duas semanas, o que chamou a atenção da população para as condições em que médicos e profissionais de saúde trabalham no combate à pandemia do novo coronavírus.

Dois dos profissionais de saúde que caíram acabaram por morrer e o terceiro continua hospitalizado. Os três incidentes estão a ser investigados pelas autoridades russas.

Alexander Shulepov, médico de ambulância, está em estado grave, depois de ter caído da janela de um hospital em Voronezh, no sábado. Citadas pelos media locais russos, as autoridades de saúde esclareceram que o médico caiu de um segundo andar do Hospital Novousmanskaya, onde trabalhava e estava a receber tratamento depois de testar positivo para a covid-19.

De acordo com a CNN, Shulepov foi hospitalizado a 22 de abril, no mesmo dia em que o colega Alexander Kosyakin publicou um vídeo nas redes sociais a dizer que o médico era obrigado a trabalhar depois de testar positivo para o coronavírus. Algo que o hospital negou, garantindo que o médico foi dispensado assim que saíram os resultados dos testes e que lhe foram oferecidos os cuidados médicos na unidade de doenças infeciosas.

Três dias mais tarde, Kosyakin voltou atrás e negou as suas anteriores declarações.

Através de um comunicado, o departamento regional do Ministério da Saúde russo avançou que Shulepov "é a vítima de um acidente causado pela sua falta de cuidado" e que está a receber o tratamento médico necessário.

Um dos outros casos diz respeito à médica Elena Nepomnyashchaya, do Hospital de Krasnoyarsk, que morreu a 1 de maio, depois de passar uma semana nos cuidados intensivos devido à queda de uma janela. Os media locais reportaram que a queda teria acontecido durante um encontro com as autoridades de saúde regionais.

A segunda vítima mortal é Natalya Lebedeva, a chefe das urgências do hospital de Star City. O hospital divulgou um comunicado a confirmar apenas "o trágico acidente", a 24 de abril, sem revelar mais pormenores sobre a queda.

Os três incidentes deixaram a população em alerta, com discussões e debates nas redes sociais e nos media sobre as condições de trabalho de quem está na linha da frente ao combate da covid-19.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19