Coronavírus

Levantar estado de emergência seria "erro imperdoável"

Mariscal/ AP

O Congresso espanhol vota hoje nova prorrogação do estado de emergência.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, disse hoje que levantar o estado de emergência e retirar as ajudas económicas nesta altura seria "um erro imperdoável" no combate contra a pandemia de Covid-19.


"Ninguém tem certezas numa situação inédita, nem o Governo, nem a oposição", disse o chefe do Executivo espanhol no Congresso dos Deputados.


O Parlamento espanhol debate e vota hoje o quarto prolongamento do estado de emergência no país.


Para o governo, o prolongamento - apesar de incluir novas medidas de "desconfinamento" - é a atitude certa para "completar a vitória contra a Covid-19".


"Não chegamos aqui por acaso. Detivemos a expansão da pandemia porque limitámos as vias de contágio graças ao estado de emergência e às armas legais que o estado de emergência confere, disse Sánchez reiterando que se trata de "uma arma legal constitucional".


O primeiro-ministro anunciou também que vai ser declarado em Espanha o luto nacional, sem precisar uma data.


O governo classifica o momento atual como "fase 1 de desconfinamento" anunciado que após terminar o primeiro período no sentido da "nova normalidade" vai celebrar-se uma homenagem pública às vítimas da pandemia em Espanha.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

  • 14:18
  • 2:34