Coronavírus

Bolsonaro obrigado a entregar testes que fez ao coronavírus

Ueslei Marcelino

O Presidente do Brasil foi submetido aos testes na noite de quarta-feira.

Especial Coronavírus

Um tribunal de segunda instância do Brasil confirmou uma decisão judicial que obriga o Presidente do país, Jair Bolsonaro, a entregar os exames que fez para detetar o novo coronavírus.

O juiz André Nabarrete, do Tribunal Regional Federal da Terceira Região (TRF-3), determinou que Bolsonaro cumpra a decisão proferida em primeira instância e apresente os resultados dos testes ao novo coronavírus, a que foi submetido na noite de quarta-feira.

No passado dia 30, a juíza Ana Lúcia Petri Betto decidiu favoravelmente uma solicitação do jornal brasileiro O Estado de S.Paulo (Estadão) para ter acesso a cópia dos exames de Bolsonaro.

A juíza estabeleceu o prazo de 48 horas para o Governo fornecer o relatório de todos os exames realizados pelo Presidente, mas o Governo brasileiro recorreu.

No seu pedido, o Estadão alegou que a recusa de Bolsonaro em apresentar o resultado dos exames configurava "cerceamento à população do acesso à informação de interesse público".

Jair Bolsonaro realizou o teste pelo menos duas vezes no mês de março e afirmou que ambos os resultados foram negativos, embora nunca tenha mostrado fotos nem cópias ou os originais dos exames.

Até quarta-feira, o Brasil registou oficialmente 125.218 casos confirmados de covid-19 e 8.536 mortes provocadas pela doença, que no país tem uma taxa de mortalidade em 6,8%.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 263 mil mortos e infetou cerca de 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS