Coronavírus

CDS quer "acerto de contas" como medida económica

CDS quer "acerto de contas" como medida económica

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Francisco Rodrigues dos Santos sugere mecanismo para dívidas do Estado aos contribuintes

Especial Coronavírus

É uma das propostas que o CDS tem para a retoma económica do país: uma forma dos contribuintes - famílias e empresas - a quem o Estado tem dívidas poderem abater esses valores nos impostos e, assim, existir o que Francisco Rodrigues dos Santos considera uma relação mais justa.

Num vídeo divulgado esta sexta-feira, o presidente do CDS critica o facto do Estado ser um "mau pagador e bom cobrador", sugerindo a criação de um mecanismo de "compensação de créditos".

No fundo, seria um acerto de contas, sem "custos para as pessoas e as empresas" e que resolveria problemas de liquidez de famílias que perderam rendimentos e empresas com quebras de tesouraria "nos casos em que as pessoas e as empresas são credoras do Estado e, ao mesmo tempo, devedoras de algum imposto, contribuição ou taxa".

"Como pode o Governo pedir dinheiro a tempo e horas a quem o Estado está a dever dinheiro há dias, meses ou anos? Se o Estado deve dinheiro, essa dívida deve servir para pagar impostos e contribuições", disse o líder do CDS.

Entre as medidas centristas para a economia, consta ainda um ajuste nas tabelas de retenção na fonte do IRS e a eliminação do Pagamento por Conta, Pagamento Especial por Conta e Pagamento Adicional por Conta de IRC e IRS em 2020.

ACOMPANHE AQUI TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19