Coronavírus

Itália ultrapassa as 30 mil mortes por Covid-19

MOURAD BALTI TOUATI

O último balanço das autoridades de saúde italianas.

Especial Coronavírus

Itália regista já 30.201 mortes devido à Covid-19, com 243 óbitos nas últimas 24 horas, segundo os dados oficiais divulgados hoje, quatro dias após o início da primeira fase de desconfinamento.

O número de infeções continua a cair, com 1.327 casos nas últimas 24 horas, metade deles na Lombardia, que continua a ser a região mais afetada.

O total de casos de infeção regiatados até agora com o novo coronavírus é de 217.185, dos quais 99.023 já foram curados (2.700 desde quinta-feira), segundo dados da Proteção Civil.

Os casos positivos ativos, que agora estão perto de 88.000, também continuam em queda, com 1.663 a menos que na quinta-feira.

Além disso, os pacientes hospitalizados diminuíram, menos de 15.000, e os internados em cuidados intensivos (1.168) são 143 a menos que ontem.

As regiões mais afetadas continuam sendo as do norte, com a Lombardia à frente, seguida do Piemonte e Emília-Romanha.

Segundo o presidente do Instituto Superior de Saúde, Silvio Brusaferro, a curva de contágio "está a diminuir", acrescentando que considera que a Itália caminha para que exista um número menos elevado de infeções em todas as regiões italianas.

No entanto, Brusaferro indicou que só na próxima semana será possível ter os dados relacionados ao impacto dos primeiros dias da retoma gradual da atividade económica, iniciada em 04 de maio.

Os dados da Proteção Civil indicam que na Itália a taxa de contágio, o R0, está agora entre 0,5% e 0,7% em todas as regiões, incluindo a Lombardia, apesar de esta região ter registado hoje mais de 600 novos casos.

As autoridades continuam a pedir cautela nesta fase de desconfinamento, para procurar evitar casos como o ocorrido ontem à noite em Milão, capital da Lombardia, quando centenas de pessoas se aglomeraram numa área de lazer para tomar um aperitivo, quando foi dada permissão para reabertura de bares que forneçam bebidas para levar.

Na segunda etapa do alivio das restrições está prevista a abertura de lojas e museus, para o dia 18 de maio, e no dia 01 de junho será a vez de restaurantes, bares, cabeleireiros e empresas similares.

No entanto, várias regiões e setores estão pressionando o governo a antecipar a reabertura.

A partir da próxima segunda-feira, o Ministério da Saúde italiano e especialistas do Instituto Superior de Saúde examinarão os dados para considerar possíveis diferenciações regionais na reabertura a partir do dia 18.