Coronavírus

700 mil crianças em Itália com dificuldades alimentares

Crise da covid-19 faz aumentar números de famílias em dificuldades.

Especial Coronavírus

Muitas das crianças italianas tinham nas escolas a única refeição do dia, mas com as cantinas fechadas como medida de contenção a situação piorou.

As famílias mais afetadas são as dos pequenos comerciantes e artesãos, as dos trabalhadores temporários e as que perderam os empregos sazonais o que fez aumentar o número de crianças com menos de 15 anos em dificuldades alimentares para 700 mil.

As escolas poderão só reabrir em setembro e o governo está atento à evolução do vírus.

O primeiro-ministro garantiu que o país está preparado para poder deixar cair as medidas de contenção no verão, caso tudo corra bem.

Numa entrevista a um jornal Giuseppe Conte pediu aos italianos para passarem as férias em território italiano.

Com a previsão da economia a encolher entre os 8 e os 13%, o primeiro-ministro deixou ainda um apelo à União Europeia para que agilize a distribuição dos recursos do novo fundo de recuperação para ajudar na economia do país.

  • 21:07