Coronavírus

Porta-voz de Putin hospitalizado depois de ter testado positivo para o novo coronavírus

Shamil Zhumatov

Dmitri Peskov não surgia nas conferências de imprensa quase diárias do Kremlin desde 6 de maio.

Especial Coronavírus

O porta-voz da presidência russa (Kremlin), Dmitri Peskov, anunciou esta terça-feira estar infetado pelo novo coronavírus, tendo informado que se encontra hospitalizado a receber cuidados médicos.

"Sim, estou doente. Estou a ser tratado", declarou o porta-voz do Presidente russo, Vladimir Putin, citado pelas agências russas TASS, Interfax e Ria Novosti, sem fornecer mais informações.

Questionado ainda sobre quando tinha sido a última vez que esteve com o Presidente russo, Dmitri Peskov respondeu que tinha sido "há mais de um mês".

Dmitri Peskov, elemento muito próximo de Putin, não surgia nas conferências de imprensa quase diárias do Kremlin desde 6 de maio. Antes de Dmitri Peskov, o primeiro-ministro russo, Mikhail Michoustine, e os ministros das pastas da Construção, Habitação e Serviços Públicos e da Cultura, Vladimir Iakouchev e Olga Lioubimova, respetivamente, já tinham sido diagnosticados com a doença Covid-19.

O anúncio de Dmitri Peskov acontece um dia depois de Putin ter afirmado que, apesar do perigo ainda se manter, a Rússia estava a conseguir retardar a progressão dos contágios e que o país ia começar a aliviar gradualmente o confinamento, em vigor desde finais de março.

"A partir de amanhã, 12 de maio, termina o período de encerramento da economia em vigor em todo o país e em todos os setores da economia. Mas a luta contra a epidemia não acaba. O perigo continua", disse, na segunda-feira, Vladimir Putin num discurso ao país transmitido pela televisão.

Com mais de 232 mil casos de infeção pelo novo coronavírus confirmados, segundo os dados mais recentes, a Rússia tornou-se nos últimos dias num dos principais focos da doença Covid-19 na Europa.

Horas antes de Putin ter falado ao país, as autoridades de saúde russas tinham anunciado o registo diário de mais de 11.600 novos casos da doença Covid-19 .O país registou, até à data, 2.116 mortes associadas à Covid-19.

ESPECIAL CORONAVÍRUS

  • 21:07