Coronavírus

Mais 87 mortes por Covid-19 em Espanha, número abaixo dos 100 pela primeira vez em dois meses

Alvaro Barrientos/ AP

Espanha vai prolongar estado de emergência por mais um mês.

Especial Coronavírus

O chefe do Governo de Madrid, Pedro Sánchez, comunicou aos líderes regionais, com quem se reúne por videoconferência esta manhã, que o número de mortes por coronavírus em Espanha nas últimas 24 horas caiu para 87, número pela primeira vez abaixo dos cem em dois meses.

Há ainda a registar mais 421 pessoas infectadas com o novo coronavírus, 327 foram hospitalizadas e 28 estão internadas em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de mortes registado hoje em Espanha, o mais baixo desde dia 16 de março, representa uma nova queda diária em comparação com sábado, dia em que foram confirmadas 102 mortes.


Até este domingo, o país contabiliza 27.650 mortes por covid-19, das quais 8.847 foram em Madrid.

Estado de emergência por mais um mês

Pedro Sánchez, anunciou este sábado que vai prolongar o estado de emergência no país durante "cerca de um mês", para que esteja ativo até ao final da última etapa do desconfinamento.


"Este deverá ser o último estado de emergência e estará ativo até ao final do desconfinamento", que deve durar até fim de junho, afirmou durante um discurso transmitido na televisão.


O estado de emergência em Espanha já foi prolongado quatro vezes, sendo que o atual deveria terminar em 24 de maio.


Decretado em 14 de março, esta exceção à normalidade permitiu ao Governo recuperar o controlo de poderes num país altamente descentralizado e limitar a circulação de pessoas, tendo sido considerado um dos mais rigorosos confinamentos do mundo.


Esta quinta extensão do prazo terá de ser aprovada pelo congresso dos deputados, onde o partido do Governo está em minoria e onde a oposição de direita recusou votar o prolongamento anterior.

A Espanha, um dos países mais afetados pela pandemia da Covid-19 no mundo, lançou na segunda-feira passada o levantamento progressivo das restrições associadas ao coronavírus em metade do país.


Com o acordo dado pelo Governo para aliviar as restrições em novas províncias na próxima segunda-feira, cerca de 70% dos espanhóis terão iniciado o desconfinamento na próxima semana.


A primeira fase do processo prevê, em particular, a reabertura das esplanadas de bares e restaurantes, bem como a autorização de reuniões familiares ou de amigos até 10 pessoas.


A região de Madrid, assim como grande parte da região de Castela e Leão e a cidade de Barcelona vão ser mantidas sob confinamento, embora mais flexível, podendo as pequenas lojas e serviços de comércio começar a retomar a atividade.