Coronavírus

Coronavírus já custou ao Estado mais de 257 milhões

Notícia SIC

Coronavírus já custou ao Estado mais de 257 milhões

Máscaras e materiais de proteção representam o maior custo.

Especial Coronavírus

Desde o início do março, o Estado já gastou mais de 257 milhões de euros no combate ao coronavírus.

A necessidade de comprar máscaras, testes ou de passar serviços para teletrabalho obrigou os organismos públicos a fazerem milhares de ajustes diretos.

Os custos da pandemia são uma pesada fatura que ainda está longe de estar fechada.

Os gastos foram contabilizados pela SIC a partir dos dados disponíveis no portal dos contratos públicos.

Entre os milhares de contratos assinados desde março, procurámos todos os que se relacionassem com a pandemia.

Alguns ainda não foram publicados, mas os números já disponíveis permitem fazer a contabilização.

176 milhões de euros em máscaras e equipamento de proteção individual

De 1 de março e até agora, os gastos com máscaras e equipamentos de proteção individual já ultrapassam os 176 milhões de euros.

Já os custos com testes Covid-19 cifram-se, nesta altura, em mais de 27 milhões de euros. A fatura do coronavírus em Portugal contém ainda, 8,7 milhões de euros em ventiladores e 5,7 milhões de euros em medicamentos.

Só a TAP já ganhou 2,1 milhões de euros com os voos Lisboa - Pequim para transporte urgente de material pagos pela Administração Central do Sistema de Saúde, I. P..

A estes gastos somam-se ainda os programas de vários municípios para apoio aos alunos que estão a ter aulas à distância.

Os organismos públicos gastaram 6,4 milhões de euros em aquisições de computadores desde março. Parte deste valor foi gasto por entidades públicas na compra de material informático que permitisse aos funcionários públicos trabalharem a partir de casa. É o caso do Instituto dos Registos e Notariado que comprou 1080 computadores.