Coronavírus

Vacina desenvolvida na China "segura e com potencial" contra o novo coronavírus

Dado Ruvic

Cientistas afirmam que é segura após os testes clínicos em seres humanos.

Especial Coronavírus

Uma vacina que está a ser desenvolvida na China contra o vírus SARS-Cov2, responsável pela doença Covid-19, está ainda numa das primeiras fases de testes, mas os responsáveis afirmam que tem potencial.

A investigação, que decorre em vários laboratórios chineses e conta com a participação de 108 voluntários, foi publicada na revista científica The Lancet.

O sistema imunitário dos voluntários que tomaram a vacina respondeu de forma moderada, com um pico 28 dias após a inoculação

A vacina foi criada com um adenovírus - Ad5 - que entra facilmente nas células. No entanto, muitas pessoas já foram anteriormente expostas a adenovírus (provocam, por exemplo, constipações ou conjuntivites), pelo que os anticorpos que as pessoas já têm podem limitar o sucesso da vaciha.

As vacinas em desenvolvimento mais promissoras

Laboratórios por todo o mundo estão numa corrida contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. Há cerca de 100 equipas a testar vários candidatos.

Há algumas que estão um pouco mais avançadas e são promissoras, mas os cientistas avisam que nenhuma deverá estar pronta antes do fim deste ano.

Universidade de Oxford e laboratório AstraZeneca

Pfizer e BioNTech

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a alemã a BioNTech estão a desenvolver a vacina BNT162 que em breve estará em ensaios clínicos.

CanSino

A Academia Militar de Ciências Médicas do Exército Chinês, em colaboração com a empresa CanSino BIO, está a trabalhar numa vacina que usa um adenovírus.

Farmacêutica Moderna

A empresa de biotecnologia dos Estados Unidos anunciou resultados positivos para uma potencial vacina contra o novo coronavírus. Garantiu que os organismos dos oito pacientes que receberam as duas doses produziram anticorpos.

Quase 333 mil mortos e mais de 5 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 332.870 pessoas e infetou mais de 5.109.290 em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan. segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 hoje, baseado em dados oficiais.

Entre esses casos, pelo menos 1.913.300 foram considerados curados.

Os países mais afetados:

  • Estados Unidos, com 94.729 mortes e 1.577.758 casos
  • Reino Unido, com 36.042 mortes e 250.908 casos
  • Itália com 32.486 mortes e 228.006 casos
  • França com 28.215 mortes e 181.826 casos
  • Espanha com 27.940 mortes e 233.037 casos.
  • China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) com 82.971 casos, 4.634 mortes e 78.255 curados.

A Europa totalizou mortes para 1.974.501 casos, Estados Unidos e Canadá 100.979 mortes (1.659.082 casos), América Latina e Caraíbas 35.822 mortes (645.545 casos), Ásia 13.264 mortes (403.480 casos), no Médio Oriente 8.570 mortes (318.246 casos), África 3.095 mortes (100.002 casos) e Oceânia 129 mortes (8.440 casos).

Portugal regista 12 mortes e 288 casos de Covid-19 na últimas 24 horas

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.289 mortes e 30200 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.277 para 1.289 , mais 12, enquanto o número de infetados aumentou de 29.912 para 30.200, mais 288, o que representa um aumento de 1%.

O número de casos recuperados ascendeu aos 7.590, mais 1.138, depois de dois dias consecutivos em que o número se manteve nos 6452.

Há 576 doentes internados, menos 36 do que no dia anterior. 83 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos, uma redução de 8 pacientes face a quinta-feira.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global