Coronavírus

Covid-19: Centenas de pessoas quebram restrições e juntam-se em festa na Sibéria

Facebook

Autoridades russas investigam a festa no centro da cidade.

Especial Coronavírus

As autoridades russas iniciaram uma investigação sobre os comportamentos sociais em Novossibirsk, na Sibéria, depois da publicação de imagens nas redes sociais de grupos de pessoas nas ruas com comportamentos que violam as restrições para conter a covid-19.

As imagens que foram difundidas através das redes sociais e nos jornais mostram grupos de jovens a dançar durante a noite, sem máscaras de proteção sanitária e sem respeitarem as normas de distanciamento social que continuam vigentes na região.

De acordo com os investigadores, a festa decorreu na noite de sábado na Praça Lenine, no centro da cidade onde vivem 1,5 milhões de habitantes.

A comissão de inquérito local anunciou no domingo à noite que já começou a realizar os interrogatórios e estima que "300 pessoas participaram na festa".

A polícia, por seu turno, estima que o grupo era constituído por "50 ou 60 pessoas" que acabaram por se dispersar logo após a chegada dos agentes ao local.

A festa não durou mais do que uma hora, acrescentou a polícia.

Mesmo assim a comissão de inquérito indicou que vai dar-se início a um processo de averiguações "por violação das regras sanitárias" anunciando que vai identificar os organizadores.

Coronavírus na Rússia

O "desconfinamento" na Rússia começou no passado dia 12 de maio mas as medidas variam de região para região sendo que as restrições na cidade de Novossibirsk mantêm-se em vigor.

A legislação russa prevê até sete anos de prisão os atos de violação de "confinamento".

A Rússia regista oficialmente 3.633 mortes pelo novo coronavírus e 353.00 casos de contágio.