Coronavírus

Alemanha levanta dia 15 advertências sobre viagens na Europa

Matthias Schrader

Decisão foi tomada com base na "evolução positiva" da contenção da pandemia, sendo que as advertências passarão a recomendações.

Especial Coronavírus

A Alemanha levantará no dia 15 de junho a advertência sobre viagens turísticas à Europa devido à pandemia de Covid-19, embora ainda a mantenha para Espanha e Noruega, anunciou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros.

"O Conselho de Ministros decidiu não estender as advertências sobre as viagens" à UE e aos países associados, para "substituí-los por recomendações" aos viajantes país a país, disse Heiko Maas durante uma conferência de imprensa em Berlim.

"A Espanha e a Noruega permitirão a entrada dos turistas um pouco mais tarde e, uma vez que tomem a decisão, nós vamos aplicá-la imediatamente", disse hoje o ministro alemão.

Dessa forma, essa advertência global para não viajar, em vigor desde meados de março, será levantada em meados deste mês para 25 dos 26 parceiros da União Europeia (UE), bem como para três dos quatro associados à Zona de Schengen -, neste caso, Islândia, Suíça e Liechtenstein-, além do Reino Unido.

Maas observou que a decisão foi tomada após "consultas intensivas com parceiros europeus" e com base na "evolução positiva" observada em termos de contenção da pandemia.

O ministro alemão especificou, no entanto, que se os avisos contra viagens "não são proibições", as indicações que serão feitas agora sobre cada país não devem ser entendidas como um "convite" para viajar.

"Devemos, em conjunto, impedir que o renascimento do turismo leve a uma segunda onda" de infeções, acrescentou, e lembrou que não é desejável apoiar-se numa "falsa segurança", porque a pandemia ainda existe.

Ministro deixou a hipótese de voltar a implementar medidas

Por outro lado, Maas expressou a esperança de não ter de reintroduzir medidas restritivas, embora tenha apontado que, se mais de cinquenta novas infeções forem registadas para cada 100.000 habitantes em sete dias, será necessário reagir e, possivelmente, reeditar uma advertência sobre a região ou país afetado.

O ministro também alertou que neste verão o seu ministério não organizará um repatriamento de turistas presos no estrangeiro.

Em relação aos países que não pertencem à UE ou não estão associados à Zona Schengen, Maas disse que a Alemanha vai esperar para conhecer a decisão que a Comissão Europeia (CE) deverá tomar esta semana.

A Alemanha tem contabilizado mais de 184 mil casos de infeções pelo novo coronavírus, que provoca a doença Covid-19, e já registou mais de 8.600 mortes.