Coronavírus

Restrições na região de Lisboa serão levantadas "muito brevemente"

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Governo reúne esta quinta-feira em conselho de ministros.

Especial Coronavírus

O Governo acredita que ter os focos de contágio na região de Lisboa identificados e sob controlo, depois de há uma semana ter optado por adiar a 3ª fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa, precisamente para levar a cabo uma operação de "testagem" e conhecer melhor a origem do aumento do número de infetados na região de Lisboa e Vale do Tejo.

António Costa reconheceu, na altura, que tal poderia defraudar as expetativas de lojistas - e não só - que se prepararam para a 1 de junho poder voltar a abrir as portas e, por isso, não fixou nova data, rementendo a avaliação para o Conselho de Ministros desta quinta-feira, dia 4.

Uma semana depois, com milhares de testes a serem realizados, no que a DGS considerou uma "estratégia agressiva", mesmo que o contágio em Lisboa continue elevado, o Primeiro-ministro acredita que as características dos surtos estão identificadas, sendo "focos particulares" e fazendo questão de dizer, no debate quinzenal desta quarta-feira, apenas em "5 dos 18 concelhos que integram a Área Metropolitana de Lisboa".

Se isso será suficiente para levantar as restrições e dar o 3º passo de desconfinamento na região que regista agora a quase totalidade das novas infeções é o que o Conselho de Ministros tem para avaliar esta quinta-feira.

Sendo que a próxima consulta dos especialidades, que regulamente tem lugar no Infarmed, antes de se avançar com medidas tendo em conta a evolução da Covid-19 no país acontece apenas na próxima segunda-feira.