Coronavírus

Futebol sul-americano só retomará com "garantias máximas" para a saúde

Jorge Adorno

A preocupação da CONMEBOL, organismo que rege as competições internacionais sul-americanas, centra-se nas deslocações dos jogadores entre aeroportos.

Especial Coronavírus

A Confederação sul-americana de futebol (CONMEBOL) apenas retomará as suas competições, suspensas devido à Covid-19, com as "garantias máximas" para a saúde dos jogadores e pessoas envolvidas, mas admite a Taça Libertadores para setembro.

"O problema mais difícil com o qual estamos confrontados são as deslocações das equipas e os aeroportos. Trabalhamos com os governos. Não vamos colocar a vida das pessoas em risco", disse Gonzalo Belloso, diretor de operações da CONMEBOL.

Para o presidente do organismo, Alejandro Domínguez, haverá uma resposta "coordenada e homogénea", de modo a que o regresso do futebol possa acontecer com o máximo de garantias para todos os envolvidos.

A Confederação aguarda para ver quais as medidas sanitárias que cada um dos seus países associados vai adotar, antes de calendarizar a Taça Libertadores, cujo campeão em título é o Flamengo, de Jorge Jesus.

A competição foi suspensa em março, ainda antes da terceira jornada da fase de grupos, e a CONMEBOL espera ter condições para um regresso em setembro, depois de já ter optado por adiar a Copa América, que deveria ter início este mês de junho, para 2021.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas - Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 387 mil mortos e infetou mais de 6,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,8 milhões de doentes foram considerados curados.