Coronavírus

Polícia do Bangladesh pratica ioga para relaxar e fortalecer o sistema imunitário

@AFP

Há mais de 6.000 polícias infetados e 19 já morreram com Covid-19.

Especial Coronavírus

De pernas cruzadas, sentados em colchões no meio do pátio, dezenas de polícias do Bangladesh praticam ioga para tentar reduzir o stress causado pela pandemia de Covid-19.

No Bangladesh, tal como em outros países, a polícia desempenhou um papel fundamental na implementação das medidas de contenção. Até agora há mais de 6.000 polícias infetados e 19 já morreram de Covid-19.

"Estes polícias desempenharam um papel vital ao permanecer nas ruas para garantir a ordem pública. (...) Era importante libertá-los do stress", disse Rajon Kumar Saha, porta-voz da unidade responsável pela segurança dos diplomatas em Daca, capital do Bangladesh.

Daca é uma cidade densamente povoada e o distanciamento social, explica Saha, não é respeitado pela população, colocando uma pressão maior na polícia.

Na sessão da manhã desta segunda-feira participaram cerca de 100 polícias. A professora de ioga, Shama Makhing, explica que este exercício "pode ​​ajudar a respirar e fortalecer a capacidade pulmonar".

"Eles não podem fugir ao dever", disse ela, "por isso é importante que a polícia esteja em boa forma".

A polícia do Bangladesh está a planear estender as sessões de ioga e exercício físico a polícias de outras unidades.

O número de casos confirmados de Covid-19 tem aumentado e os especialistas temem que a epidemia entre numa fase de aceleração no sul do país depois do levantamento das restrições. O país já registou mais de 900 mortes e cerca de 38.500 infetados.