Coronavírus

Lotação dos comboios na Grande Lisboa. Oposição acusa ministro de estar em negação

Pedro Nuno Santos insiste que o número de novos casos de infeção na região de Lisboa nada tem a ver com o uso de comboios.

Especial Coronavírus

O ministro das Infraestruturas insiste que não há um problema de sobrelotação dos comboios na região de Lisboa.

No Parlamento, Pedro Nuno Santos garantiu que a procura está abaixo do período anterior à pandemia. Esquerda e direita insistem que a realidade do ministro não é a mesma de que as pessoas que andam todos os dias de comboio.

Ministro diz que surto na Grande Lisboa não é causado pela sobrelotação dos comboios

O ministro das Infraestruturas e Habitação voltou esta quarta-feira a dizer que o surto de Covid-19 na Área Metropolitana de Lisboa não ocorre por sobrelotação dos comboios. Tal como Marta Temido já tinha referido na comissão parlamentar da Saúde, onde a questão da sobrelotação dos transportes públicos foi levantada pelos partidos da oposição.

Esta foi a resposta de Pedro Nuno Santos à interpelação do Bloco de Esquerda no Parlamento, que agendou o debate sobre o impacto da pandemia nos transportes e habitação na região da capital.

Três funcionários dos comboios da CP infetados com Covid-19

O Governo referiu esta quarta-feira que, dos dois mil funcionários da CP que todos os dias trabalham nos comboios, houve três infetados com Covid-19, não havendo qualquer registo entre as 700 pessoas que diariamente limpam aqueles meios de transporte.

"Nós temos 700 trabalhadoras da limpeza que limpam os nossos comboios diariamente, não temos nenhum caso de infetados nessas trabalhadoras", acrescentou.

Para o ministro, esta é uma informação que "apesar de tudo é importante" para não se olhar "sempre para o mesmo lado como o culpado desta pandemia".