Coronavírus

Ricardo Mexia critica "reação em vez de proatividade" no combate à pandemia 

As declarações do presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública.  

Especial Coronavírus

Para o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública, Portugal tem reagido, em vez de agir proativamente no combate à pandemia do coronavírus.

Ricardo Mexia diz que é preciso, por exemplo, deixar de fazer menos testes ao fim-de-semana e contratar mais profissionais de saúde.

"Vigilância em Portugal nunca foi tão escrutinada"

A diretora-geral da Saúde diz que, a nível local, é difícil reportar a situação epidemiológica diariamente com total precisão.

Graça Freitas garante, no entanto, que a DGS reporta a nível nacional todos os casos de Covid-19 de que tem conhecimento e diz que a vigilância epidemiológica em Portugal nunca foi tão escrutinada.

As declarações surgem depois da notícia de que podem não estar a ser contabilizados todos os casos de infeção por Covid-19 no país.

MAIS SEIS MORTOS E 232 NOVOS CASOS EM PORTUGAL

Portugal regista esta segunda-feira mais seis óbitos por covid-19, em relação a domingo, e mais 232 casos de infeção confirmados, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgados.

De acordo com o boletim epidemiológico diário, o total de óbitos por covid-19 desde o início da pandemia é agora de 1.620 e o total de casos confirmados é de 44.129.

Em termos percentuais, aumento do número de óbitos foi 0,4%, (passou de 1.614 para 1.620) e o aumento do número de infetados foi de 0,5%, (de 43.897 para 44.129).