Coronavírus

Brasil ultrapassa as 80 mil mortes por Covid-19

AMANDA PEROBELLI

Nas últimas 24 horas foram registadas 632 mortes e 20.257 novos casos da doença.

Especial Coronavírus

O Brasil ultrapassou esta segunda-feira as 80 mil mortes devido à covid-19, totalizando 80.120, segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde.

Nas últimas 24 horas foram registadas 632 mortes e 20.257 novos casos da doença no país, que regista esta segunda-feira um total de 2.118.646 de pessoas infetadas pelo novo coronavírus.

O Ministério da Saúde brasileiro adiantou que 1.409.202 pessoas já foram consideradas recuperadas da doença e outras 629.324 estão sob acompanhamento.

Vacina chinesa vai ser testada no Brasil em milhares de profissionais de saúde

Esta segunda-feira à tarde, o governador do estado brasileiro de São Paulo, João Doria, afirmou que 20 mil doses da vacina chinesa batizada de CoronaVac foram desembarcadas no aeroporto de Guarulhos e serão encaminhadas para o Instituto Butantan, para administração em voluntários no Hospital das Clínicas a partir da próxima terça-feira.

João Doria explicou que se trata de 890 voluntários da cidade de São Paulo, todos médicos ou paramédicos, que estão mais expostos à doença e que formam um grupo com perfis diversificados e, portanto, ideal para fazer a testagem.

Procedimentos similares serão feitos noutros centros de pesquisas de outros estados do país, incluindo a capital, Brasília, e os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, envolvendo cerca de nove mil profissionais.

Os testes serão acompanhados por uma comissão de investigadores internacionais, segundo as autoridades de saúde de São Paulo.

A vacina foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e é testada no Brasil em parceria com o Instituto Butantan.

Pandemia já fez mais de 606 mil mortes

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 606 mil mortos e infetou mais de 14,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.